Notícias da Diocese

“O sacerdote é continuador da missão do Cristo Bom Pastor”, afirma Dom Gorgônio

Nesta quinta-feira (27/12) Dom Gorgônio ordenou dois novos sacerdotes: Pe. Jean Michel de Oliveira Campos e Pe. Rodolfo Rodrigues. A Missa de Ordenação Sacerdotal aconteceu na Catedral Nossa Senhora dos Prazeres, em Itapetininga (SP), celebração que foi transmitida ao vivo pela TV Itapê.

Diáconos Rodolfo (ao fundo) e Jean durante a homilia

A celebração foi concelebrada por Dom Manoel Ferreira dos Santos Junior MSC e pelos padres Reinaldo Machado Ramos, Marco Antonio Custódio, Sirlei Aparecido de Oliveira. Padres diocesanos e convidados, diáconos permanentes, seminaristas, amigos e familiares marcaram presença na cerimônia.

Proclamado o Evangelho, os candidatos à ordem do Presbiterado foram apresentados pelo reitor do Seminário, Pe. Marco Antonio, ao bispo diocesano para eleição. Na sequência, o chanceler, Pe. Reinaldo, fez a leitura da provisão.

Em sua homilia, Dom Gorgônio recorda aos fieis que “a iniciativa é sempre de Deus, é graça de Deus, não é mérito nosso”, como indica a primeira leitura no livro do Profeta Jeremias (Jr 1, 4-9). “E Jesus também chamou apóstolos e continua chamando em nossa igreja os seus discípulos. Na carta aos Hebreus (Hb 5, 1-10), segunda leitura do dia, se diz que o sacerdote é tirado do povo e constituído sacerdote para fazer as coisas de Deus, ele pertence a Deus, é homem de Deus para também ser dom de Deus, servir”.

A assembleia pede a intercessão dos Santos

O bispo destacou também as características daquele que assume o ministério sacerdotal. “O sacerdócio é um despojamento de si mesmo, uma entrega a Deus, é fazer a vontade de Deus, é repetir com Nossa Senhora aquele sim <<Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a sua palavra (Lc 1, 38)>>; um desprendimento total para estar à disposição de Deus, ser instrumento d’Ele, para que Deus faça em nós segundo a Sua vontade, o seu desígnio de amor”.

O sacerdote tem como missão, continua o bispo, “viver nesta tríplice dimensão: o anúncio da Palavra – se alimenta, se identifica, vive, testemunha e anuncia a Palavra de Deus; o ministério da santificação pelos sacramentos – ajuda as pessoas a mergulhar no mistério de Cristo pelos sacramentos, em especial a Eucaristia; a missão de Pastor – que cuida, acolhe, zela, une as pessoas, vai ao encontro de todos, se dedica no cuidado do rebanho que Deus nos confia”.

Unção das mãos com óleo do Santo Crisma

Dom Gorgônio recomenda ainda aos ordenandos: “para isso, é preciso estar em Cristo, abrir-se aos dons, cultivar a presença de Deus na oração, no ofício divino, no ofício das horas, com a leitura orante da Palavra, viver a vida sacramental unido ao mistério de Cristo, cultivar essa sintonia com Deus, a devoção a Nossa Senhora – Mãe, Rainha do clero, nossa mestra e nossa companheira de missão – e aos santos, em união ao Presbitério e em plena comunhão com a Igreja”. Ele conclui a homilia rogando a intercessão de Nossa Senhora sobre os diáconos Jean e Rodolfo.

Entrega do pão na patena e do cálice

Em seguida, os diáconos em pé, diante do Bispo e do povo apresentam seus propósitos. Na sequência, os candidatos prostrados ao chão, Dom Gorgônio convida os presentes a pedir a intercessão dos santos cantando a Ladainha de todos os Santos. Concluído o canto, ele impõe as mãos sobre cada eleito em silêncio; Dom Manoel e depois, um a um os presbíteros presentes repetem o gesto impondo as mãos. Logo após, o Bispo profere a prece de ordenação.

Feito isto, são revestidos com a estola e a casula e, na sequência, tem as palmas das mãos ungidas com o óleo do Santo Crisma pelo Bispo que, também lhes entrega o pão na patena e o cálice. O rito é concluído com o ósculo da paz e os cumprimentos dos sacerdotes. Os fieis realizam a profissão de fé e tem início a Liturgia Eucarística.

Após a comunhão, o neo-sacerdote Pe. Rodolfo, também em nome do neo-sacerdote Pe. Jean, falou brevemente sobre a caminhada rumo ao ministério sacerdotal e agradeceu aos pais, formadores, sacerdotes, irmãos, seminaristas, familiares e amigos presentes, a Dom Gorgônio e Dom Manoel, religiosos e diáconos presentes e a todos que contribuíram para concretização de suas vocações.

Fotos: William Furtado/Diocese de Itapetininga

PALAVRA DO BISPO

Dom Gorgônio

Eterna é a sua misericórdia!

FACEBOOK